BLOG DO EDY: QUAL A SENHA MAIS USADA EM 2013

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

QUAL A SENHA MAIS USADA EM 2013

A sequência de algarismos "1 2 3 4 5 6" foi a mais usada por usuários de serviços de internet em 2013, de acordo com estudo divulgado pela empresa de segurança SplashData. Outros códigos comuns identificados pela empresa incluem "password” (senha, em inglês), primeira colocada do ranking de 2012, "1 2 3 4 5 6 7 8”, "qwerty" e "a b c 1 2 3".

A SplashData organiza um ranking anual de piores senhas utilizadas na web com base em dados divulgados por hackers após invasões a sites. Entre os ataques mais representativos da amostra, está a invasão ao banco de dados da Adobe, em outubro de 2013. Senhas e outros dados pessoais de cerca de 38 milhões de usuários de serviços da empresa, como a versão on-line do Photoshop, foram publicados na web.

“Ver tantas senhas como ‘adobe123’ e ‘photoshop’ na lista nos lembra que não devemos basear nossas senhas no nome do site ou aplicativo que estamos acessando”, diz Morgan Slain, CEO da SplashData, em comunicado. Ao adotar senhas fáceis de adivinhar, os usuários colocam seus dados pessoais em risco. A situação se agrava quando a mesma senha é adotada para acessar múltiplos serviços.
Senhas seguras – A SplashData recomenda que os usuários adotam senhas presentes no ranking troquem os códigos imediatamente por outro mais seguro. Em geral, especialistas em segurança recomendam que a senha seja composta por oito ou mais caracteres, entre eles letras e números. Para evitar fraudes, alguns sites já exigem que, na hora do cadastro, o usuário adote um código com este padrão.

A Microsoft, por exemplo, recomenda que os usuários troquem todas as suas senhas de e-mail, sites de bancos e cartões de crédito a cada três meses, para evitar fraudes. A empresa responsável pelo Windows, sistema operacional para computadores mais utilizado no mundo, também recomenda que o usuário adote uma senha para cada serviço que utiliza na web. Ao descobrir a senha do serviço de e-mail, por exemplo, é comum que o invasor tente acessar outros sites com o mesmo código.
Fonte:Veja